Ninguém pagou minhas contas, ninguém enxugou minhas lágrimas, ninguém viveu minha vida… (Projota)